quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Um povo que não reclama

O cidadão é aquele que conhece seus direitos e luta por eles.
É um direito não ser incomodado pelos vizinhos com o som alto de uma festa que vara a madrugada? Sim, é um direito.
O cidadão reclamaria, de forma gentil e polida, este direito? Sem dúvida.
Num edifício, por exemplo, isso pode vir a ser tema de uma reunião de condomínio ou algo assim.
Nós, brasileiros, fazemos isso? A maioria não faz: 73% dos analfabetos acham que o melhor é não reclamar com o vizinho, 63% de quem tem até a 4ª série pensa o mesmo, assim como 55% dos que cursaram da 5ª a 8ª série.
A questão é: quem não reclama um simples direito básico Alberto Carlos Almeida é cientista político, autor de A Cabeça do Brasileiro
Se alguém se sente incomodado pelo vizinho, o melhor é não reclamar (Em %)
Analfabeto Até a 4ª série
Da 5ª à 8ª série Ensino Médio Superior ou mais CONCORDA 73 63 55 38 22
F ONTE: A C ABEÇA DO BRASILEIRO com um vizinho é capaz de reclamar quando se trata dos mandos e desmandos dos governantes? Certamente que não.
É possível reclamar com um vizinho que incomode sem necessariamente se indispor com ele. Mas nós, brasileiros, em geral não estamos dispostos a isso. Nessas condições, fica difícil reclamar outros direitos e exigir que os políticos se comportem de maneira mais adequada.
A solução para esse problema é aumentar o nível de escolaridade da população. Pessoas mais escolarizadas vão reclamar mais.
********************************************************
Viajando em pé
O transporte público, cada vez mais caro, é um desrespeito ao cidadão ("Metrô e ônibus reduzem assentos para levar mais passageiros", 18/9).
Mas a explicação para isso é muito simples: quem é responsável por esse tipo de serviço não o utiliza, portanto não tem condições de avaliar a sua qualidade.
Não é exagero dizer que ir e voltar do trabalho se tornou uma guerra.
Sem um serviço melhor, a classe média jamais irá adotar o transporte coletivo.
Atrasos, roda de ônibus soltando e matando trabalhador no ponto, motoristas correndo como loucos, ônibus imundos... Pergunta: "Onde ficarão as pessoas idosas, gestantes e deficientes?".
E, depois, eles querem que a gente deixe o carro em casa e utilize os transportes coletivos, dizendo que são ótimos.
Leia a matéria na integra com os devidos comentarios

Um comentário:

katia disse...

É amiga, Ter que engolir mais essa. Somos a maioria para acabar com essa putaria é isso que não me conformo grito grito e nada !!!
Nem falo que isso foi a gota d'agua, isso faz tempo que esta transbordando, enfim A CPMF é uma vergonha aliás esse blog já diz, que PALHAÇADA e nós somos o nariz vermelho !!!
NAYA